terça-feira, 15 de junho de 2010

Recém-criada Academia de Letras de Trás-os-Montes com moncorvenses entre os fundadores

Nasceu, no passado sábado, aquando da XXI feira do Livro de Bragança, a Academia de Letras de Trás-os-Montes.
Esta ideia, "apadrinhada" pela Câmara Municipal de Bragança, reuniu várias personalidades trasmontanas ligadas às artes e letras, entre os quais os nossos ilustres conterrâneos António Manuel Monteiro (grão-mestre da Confraria dos Gastrónomos e Enófilos de Trás-os-Montes, e autor de vários livros e artigos de especialidade) e Rogério Rodrigues (escritor e jornalista, tendo sido um dos fundadores do Público, tal como este jornal salientou em notícia sobre este assunto).

Aqui fica a notícia do Público (12.06.2010):

«'É uma forma de reafirmar as identidades que temos que são, no fundo, a nossa salvação'. Foi com este toque dramático que Amadeu Ferreira, dirigente da Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) e desde há muito defensor da língua mirandesa, este sábado se referiu à Academia das Letras de Trás-os-Montes, na sessão que oficializou a sua criação, no Centro Cultural de Bragança. Uma academia que, segundo o autarca de Bragança, Jorge Nunes, será apenas a segunda do género inscrita na Academia de Ciências de Lisboa e que, de acordo com Adriano Moreira, um dos seus fundadores, “nos momentos de crise o recurso às identidades aparece como fundamental”. Por isso, “esta academia inscreve-se nesta consciência de que esse é o facto”. “O que está em crise na Europa e em Portugal é o Estado e não a identidade. E são as identidades que precisam de ser defendidas porque são a pedra de base para a reorganização que precisamos”, sublinhou, no seu discurso.
Esta Academia junta escritores como Barroso da Fonte (Montalegre), Ernesto Rodrigues (Torre de D. Chama), Modesto Navarro (Vila Flor) ou Jorge Tuela (Vinhais), ou o jornalista Rogério Rodrigues (que esteve na equipa fundadora do PÚBLICO e é de Torre de Moncorvo), e inclui já parceiras com a Academia Galega da Língua Portuguesa, a Casa de Estudos Luso-Amazónicos (Brasil) e a Academia de Letras e Artes de Bragança do Pará (Brasil).»

Artigo de António G. Rodrigues, in Público, 12.06.2010 > ver mais em: http://publico.pt/Cultura/academia-das-letras-de-trasosmontes-nasce-para-salvar-identidade-da-regiao_1441650

Veja aqui outras notícias sobre este acontecimento:

Rádio Brigantia: http://www.brigantia.pt/index.php?option=com_content&task=view&id=4017

Portal da Língua /Associaçom Galega da Lingua: http://www.pglingua.org/index.php?option=com_content&view=article&id=2520:nasce-a-academia-de-letras-de-tras-os-montes&catid=2:informante&Itemid=74

Na foto: Medalha comemorativa da Fundação da Academia de Letras de Trás-os-Montes

6 comentários:

Anónimo disse...

Parabéns aos intervenientes pela criação da Academia de Letras de Trás-os-Montes.

Esperemos que o Centro Cultural de Bragança esteja, de hoje em diante, realmente aberto a quem queira apresentar um pouco da "identidade transmontana"!

Isabel

Anónimo disse...

Saudando também a criação desta Academia, subscrevo inteiramente as palavras da Isabel.
Tendo em vista o tal reforço da "identidade trasmontana", há vários anos que sugiro a criação de um "museu virtual" representativo da Trasmontânia. A ideia, inicialmente aflorada numa aula de um curso de museologia da FLUP, viria a ser apresentada publicamente numa sessão realizada na Casa de Trás-os-Montes e Alto Douro do Porto, em 8.12.2007. O texto desta palestra (sem o protótipo em FrontPage e a correspondente apresentação em Powerpoint) encontra-se publicado no Boletim Cultural da Escola Secundária Camilo Castelo Branco (Vila Real), nº. 14, Março de 2008, graças ao empenho do meu Amigo João Pinto V. Costa. - Fica a dica para eventuais interessados.
n.

Júlia Ribeiro disse...

Está de parabéns Trás-os-Montes e também a cidade de Bragança pela criação do espaço de cultura que se chama "Academia das Letras de Trás-os-Montes". E, claro, estamos de parabéns nós , os Moncorvenses, pois entre os fundadores se contam os nossos conterrâneos Rogério Rodrigues - poeta, escritor e jornalista - e António Manuel Monteiro ( para mim um ilustre desconhecido e já percebi que sou eu quem perde por esse desconhecimento imperdoável. Felizmente, o Nelson fez o favor de no-lo apresentar. )
Estamos, de facto, mais ricos culturalmente.

Um grande abraço
Júlia



Caríssimo Nelson:
Eu estive nessa sua sessão na Casa de Trás-os-Montes e Alto Douro do Porto e achei fantástica a sua ideia do "Museu Virtual" .
Não pare. Eu não percebo nada do assunto, mas penso que essa ideia tem pernas para avançar.

jose albergaria disse...

Que seja de bom agoiro para a preservação da identidade trasmontana.
J. Albergaria

Anónimo disse...

Viva Drª. Júlia,
Antes de mais mt. obrigado pela apreciação - sobre a tal "ideia", pois isso tinha mesmo que passar por um suporte institucional que pode bem passar por esta academia, ou Casas de TRás-os-Montes, pois q não há que contar com o novo zonamento da região de "Turismo do Porto e Norte de Portugal" (pois é assim mesmo q se designa!) não se pode contar. Fica ao critério dos académicos (e o Rogério já disse q se iria empenhar).
Quanto ao ilustre conhecido Engº A.M.Monteiro, aqui deixo mais uma pequena achega bibliográfica:

MONTEIRO, António Manuel, Crónicas comestíveis : contando histórias de comeres / Mirandela : João Azevedo, 2002, 136 p. ; 21 cm ISBN: ISBN 972-9001-53-7 Nº do Depósito Legal: PT|181285

MONTEIRO, António Manuel (em colab. Com Vítor Pinto Cordeiro, José Gomes-Laranjo), A amendoeira: com especial referência a Trás-os-Montes e Alto Douro, Mirandela : ed. João Azevedo, D.L. 2003 Descrição física: 186 p. : il. ; 25 cm Colecção: Património natural transmontano, ISBN: ISBN 972-9001-58-8 Nº do Depósito Legal: PT|190371/2003

MONTEIRO, António Manuel, Estórias do Azeite. Mirandela : ed. João Azevedo, 2006, 226 p. ; 21 cm, ISBN 972-9001-89-8,

MONTEIRO, António Manuel, Palavras do olival, Mirandela : ed. João Azevedo, 2008, 210 p. : il. ; 24 cm, ISBN 978-989-8209-00-9

MONTEIRO, António Manuel, A oliveira : recuperar o passado com especial referência a Trás-os-Montes e Alto Douro, Mirandela : João Azevedo, 1999 Descrição física: 155 p. : il. ; 20 cm ISBN: ISBN 972-9001-29-4 Depósito Legal: PT|129931/98

Há ainda a considerar a colaboração na obra "Cozinha Trasmontana", ed. Afrontamento, cujo 1º subscritor foi Alfredo Saramago (a recolha das receitas e demais informação foi do António Manuela).
Dirige ainda a revista da Confraria, e é autor de vários artigos em vários sítios. Alguém (ou o próprio) poderá completar este apontamento bibliográfico.

Quanto ao Rogério, creio que dispensa mais apresentações, e a sua extensa bibliografia não caberia no modesto rectângulo desta caixa de comentários.

Abraço a todos, extensivo ao Amigo J.Albergaria, q tem andado mt "desaparecido",
n.

Venon aka Filipa disse...

Caro Anónimo,

Como adquiro as obras que refere, editadas por João Azevedo, Editor (de Mirandela)?

Ainda, a obra "Série - Património Natural de Trás-os-Montes", e outros títulos: Etnobotânica; P. Nat. Montesinho; A lontra; A oliveira; O javali; O tordo; etc.

Até agora todos os contactos que me foram fornecidos resultaram em números de telefone que não funcionam.
Conhece alguma forma de conseguir entrar em contacto com o Sr. João Azevedo?
Os meus contactos são:
T: 210998725
e-mail: info@lojadehistorianatural.com

Com a máxima atenção e muito grata,
Filipa da Silva Albino